Hino da Cidade de Santos

(Santos Poema)

Música: Ernesto Zwarg e Antonio Bruno Zwarg

 


Santos poema, jardins pela praia 
Cidade e porto de mar
Tens a magia de barcos estranhos
Na barra esperando adentrar
Morros, varandas alegres
Suspensas no arvoredo
Santos das ruas antigas
À beira do cais
Que escondem segredos

Tuas paineiras floridas
Salgueiros que choram
Nos velhos canais
Santos, cuidado menina
As tuas belezas
Não percas jamais

Os flamboians florescentes
Palmeiras imperiais
Ilha Urubuqueçaba
O verde reduto
Nas ondas do mar



Santos poema, jardins pela praia 
Cidade e porto de mar
Tens a magia de barcos estranhos
Na barra esperando adentrar
Morros, varandas alegres
Suspensas no arvoredo
Santos das ruas antigas
À beira do cais
Que escondem segredos

Tuas paineiras floridas
Salgueiros que choram
Nos velhos canais
Santos, cuidado menina
As tuas belezas
Não percas jamais

Os flamboians florescentes
Palmeiras imperiais
Ilha Urubuqueçaba
O verde reduto
Nas ondas do mar


Oh! Santos
És linda demais !

 

(A interpretação da melodia é feita pelos membros do Clube Soroptimista Internacional de Santos)

A letra foi transcrita da página da Prefeitura Municipal de Santos

A melodia foi obtida no sítio Ó Minha Santos

voltar aos hinos